Edvaldo sai em defesa dos trabalhadores da Saúde e Segurança e pede retorno imediato do auxílio em saúde

Edvaldo sai em defesa dos trabalhadores da Saúde e Segurança e pede retorno imediato do auxílio em saúde

Assessoria

Em pronunciamento durante a sessão virtual desta terça-feira (2) na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) cobrou do governo do Estado a imediata publicação do decreto que renova o pagamento do Auxílio Temporário de Emergência em Saúde (ATS), de R$ 420,00, a profissionais da Saúde e da Segurança Pública, que atuam na linha de frente no combate ao novo coronavírus.

Edvaldo Magalhães disse que “esses profissionais além de serem prejudicados, estão morrendo” e acrescentou que “as necessidades das medidas não podem esconder outro debate”, ou seja, “a necessidade de ter uma política alinhada com as secretarias estaduais e municipais e as Forças de Segurança no sentido de valer para todos, para que o justo não pague pelo pecador. Essa Casa que sempre esteve debatendo esse tema, com os cuidados, buscando os caminhos, haverá de encontrar várias sugestões para atenuar os efeitos da pandemia”.

O parlamentar ver como acertada as medidas tomadas pelo governo do Acre para conter o avanço dos casos de covid-19. “Manaus está ali para gritar no pé do ouvido de quem quer escutar que o Acre pode se Manaus amanhã, caso nada fosse feito”.

Leonildo Rosas

Related Posts

Sérgio Petecão fala sobre suposta “sala de morte” em hospital acreano

Sérgio Petecão fala sobre suposta “sala de morte” em hospital acreano

Bancada federal do Acre garante que trouxe R$ 129,3 milhões para Gladson combater a Covid

Bancada federal do Acre garante que trouxe R$ 129,3 milhões para Gladson combater a Covid

Bancada federal do Acre garante que trouxe R$ 129,3 milhões para Gladson combater a Covid

Bancada federal do Acre garante que trouxe R$ 129,3 milhões para Gladson combater a Covid

Leo de Brito ingressa com ação no STF contra censura a professores feita pelo governo Bolsonaro

Leo de Brito ingressa com ação no STF contra censura a professores feita pelo governo Bolsonaro

No Comment

Deixe uma resposta

Encontre-nos

Horário
Segunda—sexta: 9h–17h
Sábados e domingos: 11h–15h